Arquiteturas de Aplicação em Redes: Cliente-Servidor e P2P

Neste tutorial de nossa Apostila de Redes, iremos aprender sobre as principais arquiteturas de aplicações de uma rede: a arquitetura Cliente e Servidor, e a arquitetura do tipo P2P (peer-to-peer).

Quando você se tornar um profissional de redes e desenvolver aplicações (como sites, redes sociais, jogos, serviços etc), provavelmente vai ter que optar por uma dessas duas arquiteturas de aplicação de uma rede, por isso seu entendimento é essencial.

Arquitetura de Aplicação do tipo Cliente e Servidor


Como o nome diz, o servidor serve para simplesmente 'servir', ou seja, atender algo.
No caso, o servidor é um sistema final que visa prestar algum tipo de serviço para outro sistema final.

A função de um servidor é, basicamente, atender aos pedidos dos clientes.
É importante que o servidor esteja sempre em funcionamento e que tenha um endereço fixo na rede (chamado de IP), para ser sempre 'encontrado' no mesmo endereço.

Cliente-Servidor: Apostila de Redes para download
Já os clientes são os sistemas que vão solicitar serviços, como pedir para ver o conteúdo de um site ou receber um vídeo do Youtube. Os clientes não costumam ficar sempre conectados e podem ter IP dinâmico (ou seja, muda a cada vez que se conecta na Internet).

Exemplo clássico de uma atividade que exige uma arquitetura do tipo cliente-servidor, é você acessar um site, como o globo.com .

Você é o cliente, e ao digitar o endereço do site e dar enter, seu browser vai enviar uma solicitação:
"Hey, servidor da globo! Estou querendo ver seu site, me envie os dados!"
Então, os servidores da Globo vão lá e te enviam os textos, imagens, animações etc.

Obviamente, o servidor deve ser capaz de dar conta de atender a vários clientes, e ao mesmo tempo, daí a necessidade de estar sempre funcionando e em endereço (IP) fixo.
E esses clientes não conversam e se conectam diretamente um ao outro.

Arquitetura de Aplicação do tipo P2P (peer-to-peer)

Arquitetura P2P - Apostila de Redes Grátis para Download
Ao contrário da arquitetura cliente-servidor, a arquitetura P2P (do inglês peer-to-peer), não exige que nenhum sistema fique sempre em funcionamento, muito menos com um endereço fixo.

Nessa arquitetura, ao invés de termos cliente e servidor, temos pares iguais, dois sistemas iguais onde não há um típico servidor nem um típico cliente. É a arquitetura par-a-par (peer-to-peer, em inglês, cuja gíria é P2P).

Os pares se conectam e trocam informações diretamente, sem a intervenção de um servidor.

Exemplos clássicos de aplicações que usam a arquitetura P2P são os programas de torrent, onde diversos usuários ficam trocando arquivos entre si. Você recebe diretamente os arquivos de outros usuários, e manda pra eles diretamente também.

Outro exemplo são programas de VoIP, como o Skype.

Nesse tipo de arquitetura, não há garantia que vai sempre ter um sistema final funcionando como servidor. Pode ocorrer de outras máquinas (usuários comuns) desligarem e você não receber dados de ninguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário